Telefones: 31 3213-4975 - 31 3212-4155
Whatsapp: 31 98634-1481
Atendimento de Seg. à Sex. de 09:00 as 17:00

 

CLUBE DE LEITURA "LER PARA TECER"

Prezado(a)s, Associado(a)s,

No dia 25 de novembro de 2021, última quinta-feira do mês, como tem acontecido, foi realizado por videoconferência o quarto encontro do Clube de Leitura LER PARA TECER AEA-MG

A atividade do Clube de Leitura “LER PARA TECER AEA-MG” é a leitura de livros de romances escritos por autoras brasileiras e também estrangeiras, com ricas discussões posteriormente pelos participantes, mediados pela Professora Terezinha.  

Segundo a coordenadora do projeto, Terezinha Pereira, no mês de novembro, o livro lido e discutido pelos participantes foi “De amor e de Sombra”, da escritora chilena Isabel Allende. Durante o encontro, dez participantes teceram sobre suas experiências, trocaram opiniões, falaram de seus mais diversos sentimentos despertados pela leitura do livro.  

De amor e de sombras” (1984), foi escrito por Isabel Allende durante seu exílio na Venezuela. É uma história de amor situada no cenário da ditadura militar de Pinochet, no Chile. Irene e Francisco formam um casal de jornalistas que se enamoram a partir da amizade no trabalho. Juntos, a partir de investigações, vão conhecendo histórias ocultas que deixam a descoberto um governo tirano e também seus segredos militares. De modo sutil, porém perspicaz, a autora descreve uma época marcada por um regime de sistemática violação aos direitos humanos, em que a classe empresarial e os de maior poder econômico apoiavam o governo e as classes média e baixa, eram emudecidas, oprimidas, sem direito de opinião, uma vez que a imprensa estava submetida a uma severa censura. (tempo de sombra).  

Trechos: 

“O primeiro dia de sol evaporou a umidade acumulada na terra durante o Inverno e aqueceu os frágeis ossos dos anciãos, que, assim, puderam passear pelos caminhos ortopédicos do jardim. Apenas o melancólico permaneceu na cama, porque era inútil levá-lo para o ar puro: os seus olhos só viam os próprios pesadelos e os ouvidos estavam surdos ao alvoroço dos pássaros. Josefina Bianchi, a atriz, vestida com o longo traje de seda que usara meio século antes para declamar Tchekov e levando consigo uma sombrinha para proteger a pele de porcelana trincada, caminhava devagar entre os canteiros que em pouco tempo se cobririam de flores e besouros.”

Isabel Allende (1942). De amor e de sombra. Romance chileno. Trad. Suely Bastos. 21ª. Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2019. p.13

“− Na realidade vim-te buscar, irmão− disse José, dirigindo-se a Francisco.

− Tens de ir ver uma menina na aldeia. Foi violentada há uma semana e desde então ficou muda. Usa os teus conhecimentos de psicologia, porque Deus não dá conta de tantos problemas.

− Hoje é impossível, tenho de ir com a Irene tirar umas fotografias, mas amanhã verei a criança. Quantos anos tem?

− Dez.

− Meu Deus! Que monstro pode fazer isso a uma pobre inocente? - exclamou Hilda.

− O pai.”

Isabel Allende(1942). De amor e de sombra. Romance chileno. Trad. Suely Bastos. 21ª. Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2019. p.29

“Irene pegou-lhe pelo braço e conduziu-a delicadamente para um canto afastado do pátio, a essa hora envolto em penumbra. Francisco quis seguí-las, mas ela deteve-o com um sinal, certa de que a sós, Digna teria oportunidade de estabelecer uma sólida cumplicidade feminina. Sentaram- se em duas cadeiras de palha frente a frente. À ténue luz do crepúsculo, Digna Ranquileo viu o pálido rosto de Irene, devorado por uns olhos estranhos delineados com lápis negro, o cabelo agitado pela brisa, essa roupa vinda de outras épocas e as missangas barulhentas nos seus pulsos. Percebeu que, apesar do aparente abismo que as separava, podia contar-lhe a verdade, porque afinal eram irmãs, como no fundo o são todas as mulheres.”

Isabel Allende (1942). De amor e de sombra. Romance chileno. Trad. Suely Bastos. 21ª. Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2019. p.114

“−Cada dia há mais pobres - disse Irene.

−Vais começar também com essa cantilena? Em toda a parte há mendigos. O que acontece é que aqui as pessoas não querem trabalhar, este é um país de preguiçosos - rebateu Beatriz.

−Não há trabalho para todos, mãe.

− Que queres? Que não haja diferença entre os pobres e as pessoas decentes?

Isabel Allende (1942). De amor e de sombra. Romance chileno. Trad. Suely Bastos. 21ª. Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2019. p.175

*****

Comentários de leitores do clube de leitura:

“Digna é a minha personagem preferida do livro. Tão digna, forte, corajosa. Sofrida e tem humor! Muito divertido quando ela pergunta ao médico de histeria balança o telhado e quebra louças.  Ri muito. Exemplo de resiliência e amor.”

“Irene é linda, mas é uma heroína, protagonista, me encantou, mas não tanto quanto Digna.”

“Gente, adorei os nomes dos personagens!... contudo não consegui passar da pag. 50 ... não conseguirei ler a tempo do nosso encontro.”  

“Penso que quanto mais leitores do grupo participarem, melhor será nosso encontro.”

"De amor e de sombra": ficção inspirada em realidade. Veja a matéria: https://elpais.com/diario/1978/12/08/internacional/281919605_850215.html

“Uma coisa que adorei no livro foi os pobres resilientes: a Digna, minha favorita de todos os personagens, as Evangelinas, a família Flores, a Rosa e seus provérbios, o Mário e sua alma de artista. Aliás, todos os personagens são muito bem construídos e interessantes, me apaixonei também pela família de Francisco e os dois militares dedicados à causa com grande sinceridade, tanto o irmão de Evangelina e o noivo de Irene.” 

“Obrigada pela leitura deste livro, Terezinha. Uma verdadeira viagem em todos os sentidos, principalmente em história, que delícia!"

“Minha primeira vez junto a vocês e como foi gratificante! Compartilho o que muitos de vocês já disseram sobre o encontro.  Muita troca, muito aprendizado. Gratidão a todos.”

“Gente, ontem foi maravilhoso. Cada livro nos abre muito mais do que sua história.  Que delícia de conversa. Quanto conhecimento circula ali. Terezinha Pereira obrigada por nos abrir esta porta que leva a tantos caminhos! Colegas, gratidão pela troca de conhecimento, afeto, sorrisos. Estamos tão precisados de tudo isso... E um recadinho a quem não participa do encontro por não ter terminado (ou nem lido) o livro proposto: vá assim mesmo, vale a pena! Eu só havia lido 1/3 da obra mas terminei o encontro com muita vontade de ler o resto, ver o filme e ainda com uma lista de desejo de livros e filmes.”

Comentários sobre o prazer de ler:

“E o grande prazer que é ler, não é?” ; “Ler é emoção, prazer, cultura, interação com a humanidade e seus caminhos, seus dramas, sua história!”; “É um modo de viver muitas vidas.”

Próximos livros e datas para discussão:

5- A hora da Estrela – 30/dezembro/2021

Autora: Clarice Lispector (Brasil) - 88p. 

6- Dias de Abandono – 27/janeiro/2022

Autora: Elena Ferrante (Itália) - 184p. 

7- Tudo é rio. – 24/fevereiro/2022 - 24/fevereiro/2022

Autora: Carla Madeira (Brasil) – 210 p.  

8- Niketche – Uma história de poligamia – 31/março/2022

Autora: Paulina Chiziane (Moçambique) - 296p.

 

Cordialmente,

Diretoria da AEAMG 

 

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Sexta, 10 Dezembro 2021 15:38